WhatsApp

18997636229

Andradina
Argentina investiga evento "consistente com explosão" próximo a submarino - A verdade online

Internacional

23/11/2017 às 19h06 - Atualizada em 23/11/2017 às 19h06

Argentina investiga evento "consistente com explosão" próximo a submarino

Dorivaldo
Andradina - SP
FONTE: EFE

O porta-voz da Marinha Argentina, capitão de navio Enrique Balbi, afirmou hoje (23) que recebeu a comunicação de que "houve um evento anômalo, singular, curto, violento e não nuclear, consistente com uma explosão" horas após a desaparição do submarino ARA San Juan e na mesma região em que ele se encontrava.



O submarino desapareceu no último dia 15, com 44 pessoas a bordo. Uma megaoperação internacional continua buscando a embarcação, que manteve seu ultimo contato há oito dias. Mas as esperanças de encontrar alguém com vida são menores.



Ontem (22) à noite, o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi, informou que uma “anomalia hidroacústica” tinha sido registrada três horas apos o submarino ARA San Jose ter se comunicado com a base, pela ultima vez, às 7h30 de quarta-feira da semana passada (15).



Navios e aviões foram enviados para investigar a origem do barulho, 30 milhas ao norte do local onde o submarino estava.



Itati Leguizamon, esposa de um dos tripulantes, recebeu a noticia com raiva e indignação. “Estão quebrando tudo lá dentro”, disse, referindo-se ao local onde estavam reunidos os parentes dos 43 homens e a mulher que embarcaram no submarino. Ela criticou a falta de investimento público nas Forças Armadas e na renovação de equipamento. O submarino ARA San Juan foi construído na Alemanha em 1980 e recondicionado em 2014.



Segundo Balbi, essa informação só pode ser liberada oito dias apos o ruído ter sido produzido porque estavam comparando informações. Encontrar submarinos é difícil, porque são construídos para não serem detectados, e o mar não é um lugar silencioso, o que dificulta a busca – feita com sonares e radares.



Análise do ruído



As informações analisadas partiram dos Estados Unidos e da Áustria, país sede da Organização Internacional de Energia Atômica (OIEA), criada em 1957 para promover o uso pacífico e seguro de tecnologia nuclear. Segundo o embaixador argentino em Viena, Rafael Grossi (que é especialista em assuntos nucleares), existe uma rede internacional de sensores para monitorar testes nucleares e movimentos sísmicos. O ruído foi registrado tanto pela OIEA quanto pelos Estados Unidos.



“A partir dessa análise pudemos obter informação que confirma a existência de um evento isolado, horas após o último contato do submarino com a Terra, consistente com algum tipo de explosão”, disse Balbi. Segundo ele, os sensores medem a velocidade e o movimento das ondas (da explosão) e podem determinar se foi causada por um terremoto, um teste nuclear ou um animal (baleia). Todas essas hipóteses foram descartadas, o que levou os especialistas a achar que poderia ter partido do submarino – que estava próximo daquele local, naquela hora.



Segundo o porta-voz da Marinha, o governo argentino demorou a informar sobre a explosão porque esperava a confirmação da Áustria, que chegou na manhã de hoje (23). Essa avaliação foi comparada com informação do governo norte-americano, que também tinham captado um ruído. “Esse evento coincide com a informação que recebemos ontem dos Estados Unidos, que centralizaram a análise”, disse.



As buscas pelo submarino continuam. “Seis unidades estão varrendo a região para localizar o submarino. Até não ter certezas ou outros indícios, continuaremos com o esforço de busca. Não podemos fazer uma afirmação contundente”, completou Balbi.


ESTA MATÉRIA FOI VISTA 20 VEZES

Comentários

Veja também

nenhuma Enquete encontrada!

Publicidade

Image and video hosting by TinyPic

Publicidade

Image and video hosting by TinyPic

Publicidade

Image and video hosting by TinyPic

Publicidade

Image and video hosting by TinyPic

Publicidade

Image and video hosting by TinyPic

Publicidade

Publicidade

© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados

Portal MD Hospeda